27 de dezembro de 2012

DESAPEGO: ACEITAÇÃO, NÃO-REATIVIDADE E CONFORMISMO

Algumas pessoas podem confundir a aceitação(aspecto positivo) que eu sempre menciono com o conformismo(aspecto negativo).

Bem, eles podem ser confundidos a partir do momento em que você leva o significado da aceitação como algo que leva à zona de conforto do conformismo.

Explico: se um rapaz sofre bullying e aceita isso sem reclamar, nós temos duas situações:


1.  ele é um cara seguro e desapegado, não liga para o bullying o qual estão praticando nele.

2.  ele é um fraco que permite que os outros façam o que quiser com ele e, por motivos de medo e insegurança, ele aceita e guarda aquilo dentro de si fazendo mal e o destruindo por dentro.

No primeiro caso temos uma aceitação sem identificação. Para ele o bullying é uma besteira e ele aceita transcendendo aquilo como se fosse apenas uma simples brincadeira. Conhece o caráter infantil, prejudicial e baixo do bullying e não leva para o lado pessoal, não se identifica. Esse é o grau de aceitação recomendado, mas é claro que se faz necessária a eliminação dessas pessoas que praticam isto da vida dele,   ele não será um idiota que tá apanhando e tá sendo um paspalho que aceita qualquer merda.

No segundo caso, o rapaz 'aceita" o bullying, não faz nada, se sente mal por dentro, com raiva, medo e mais outros sentimentos negativos. Neste caso ele está se identificando com aquela situação, por isso que isso o afeta tanto, ele acaba levando para o lado pessoal, se autossabotando e derrubando a ele mesmo por dentro, neste caso chamo de uma aceitação compulsória e negativa, não é a aceitação consciente e positiva. Este é o conformismo.

No caso da não-reatividade, o cara não se identifica com o conteúdo negativo e entende o caráter daquele "objeto negativo", não levando para o lado pessoal.

Ser não-reativo é ser desapegado, entretanto esta não-reatividade deve ser plena e com a não-identificação. O apegado se identifica com o objeto em questão, este objeto do qual eu falo são sentimentos negativos aliados ao ego que causam uma reação para proteger um aspecto do nosso eu, exemplo:

Uma mulher disse que o Denys é gay.

O Denys reativo tentará atacar a mulher para defender sua dignidade, reagindo a provocação impelido pelo ego, perdendo seu controle e demonstrando insegurança;

O Denys não-reativo não tentará provar nada, pois não se identifica com aquele objeto (a provocação) e não a leva para o lado pessoal, tirando até uma ondazinha com a cara dela: "Você por acaso sente algum tipo de atração por gays?".

Bem, é isso, acredito que tenha ficado claro. Percebem que tudo isto está associado ao apego? Todos esses sentimentos e aspectos negativos de nossa pessoa são os que nos torna apegados. Se formos destruindo isso tudo, mais perto do desapego chegaremos.

Um abraço a todos.



13 comentários:

  1. Muito bom o artigo, eu particularmente me considero um cara em grande parte não-reativo. Mas sei que preciso melhorar bastante ainda, e esse post me ajudou muito! valeu cara. Abç

    ResponderExcluir
  2. Não reatividade: Chamar um rico de pobre.
    O Rico sabe que é rico, então não se importa ao chama-lo de pobre.

    Reatividade:
    Chamar o pobre de pobre.
    Ele se identifica com aquilo, e começa a briguinha.

    Então quando você se sente ofendido, só estará fazendo que o agressor pense que está certo.

    ResponderExcluir
  3. É aquela coisa, se o cara dá mole, é porque incomoda. Eu me aceito e vivo numa boa,ótimo texto. Um abraço.

    ResponderExcluir
  4. Olá Vlorenz gostei deste post,parabéns.
    Em meu trabalho vivi situação parecida,pois como tenho um vida cultural um pouco mais recheda que alguns por lá,me tachavam de gay,era na zoeira,e eu ainda zoava com a situação.
    Ok,foi passando o tempo,e pelo fato de eu nem se quer ligar para as zoeiras no trabalho,(trabalho com crentes,sem ofensas,pois os do meu serviço,consideram ofensa ouvir até The Beatles)a situação foi piorando,e eu percebi que teria que tomar uma atitude.
    Chamei os crentes para conversar,e expliquei,que havian invadido o meu espaço e tudo mais,ok,nunca mais aconteceu mais nada.
    por isso este post é importante,mesmo sendo desapegado das coisas,temos que tomar cuidado para não acontecer isto que aconteceu comigo.
    Bom,mas serve de aprendizado,quando perceber que algo tende a evoluir como uma bola de neve,corte,aniquile-o,na raça,seja como for,esta é minha contribuição a matéria,abraços Vlorenz

    ResponderExcluir
  5. Salve Vlorenz.... Andei meio sem tempo de ver o blog mas hj gastei uma horinha para ver os posts q eu tinha "perdido", vc ta cada dia meelhor... Grande noticia ver o Charmoso Canalha postando no blog...

    Gostaria de recomendar a vc e a moçada do blog para asistirem a série Mad Men, o personagem principal é um baita exemplo para quem lê este tipo de material...

    Abraçao...

    ResponderExcluir
  6. Otimo post falou tudo novamente. Eu sempre fui reativo e vi que so me dei mal...Continue escrevendo cara por favor.

    Grande abraco, continue salvando vidas com seus textos.

    ResponderExcluir
  7. O exemplo do bullying que você deu me descreveu agora. Sou o cara do um, mas já fui o dois também. Me desenvolvi pessoalmente, e a real ajudou em parte (não totalmente).

    ResponderExcluir
  8. Concordo, sou um cara que não liga para brincadeiras, desapegado, até por ser uma pessoa bem extrovertida, mas claro que eu imponho um limite no tipo de zoação.

    ResponderExcluir
  9. de onde eu venho aprendi tomando porrada que se vc é zuado tem q zua tbm, eu sempre digo quer me zoar pode zoar mais aguenta minha zoação pq sou chato pra caralho ausheaushe

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...